novas tecnologias na saúde e o plástico
Foto: Pexels

Você sabia que o plástico é um grande aliado na área da saúde? Grande parte das inovações adotadas por este setor compete ao uso do plástico. Com informações retiradas do site Plástico Transforma, repassamos os avanços na tecnologia utilizados por essa matéria orgânica. Confira!

Inovações são sempre surpreendentes e absolutamente necessárias para qualquer setor da indústria. Os avanços adotados na tecnologia médica, inclusive, são sinônimo de inovação para uma sociedade. Não é à toa que o plástico está presente quando o assunto é novas tecnologias na saúde.

Anualmente é divulgado referências neste mercado ao que compete a utilização do plástico, entre eles:

Enxerto de pele feito de plástico, uma das novas tecnologias na saúde

Através de um time de engenheiros e químicos da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, foi desenvolvido um novo tipo de enxerto de pele feito com plástico.

A inovação possui duas vantagens se comparado aos enxertos já existentes:

  1. A primeira é o fato da nova tecnologia poder se regenerar ilimitadamente, sendo que o processo leva cerca de 30 minutos em temperatura ambiente.
  2. A segunda é ser sensível ao toque, graças à capacidade de conduzir eletricidade, algo nunca antes realizado.

Os recursos tornam a novidade tão exclusiva pelo fato de que foram obtidos a mistura de dois materiais: o plástico, que protege a região em que se é aplicado. E pequenas partículas de níquel, que servem como condutor de eletricidade.

Contudo, a tecnologia ainda passa por testes, mas já é uma promessa para a recuperação de lesões.

Protéses mecânicas de plástico ecológico

Inicialmente, outra inovação de importância é na manufatura de próteses mecânicas em impressoras 3D. A manufatura aditiva, ou seja, a impressão 3D, já é uma realidade para a área industrial, e tem se tornado cada vez mais presente no setor médico.

As próteses – ao contrário da impressão 3D no setor industrial, que utiliza em seus modelos o polipropileno – atuam com biopolímeros. Isto é, tem produção a partir de fontes renováveis, como a cana-de-açúcar, a beterraba, o milho e outras espécies.

No caso da mão mecânica, a matéria prima é o poliácido láctico. Este, constituído por moléculas de ácido láctico, um ácido orgânico de origem biológica que é obtido a partir do amido do milho e da beterraba.

Impressão 3D

Ainda sobre impressão 3D, a ação é revolucionária e permite uma variedade de indústrias criarem de maneira rápida e fácil modelos totalmente personalizáveis.

Neste sentido, é possível que técnicos possam criar réplicas plásticas para estudo de cirurgias, por exemplo. Em outras palavras, a impressão em 3D tem colaborado com a medicina ao possibilitar a criação de biomodelos. E isto já é muito real.

  • Coração 3D: Em suma, sua réplica é essencial quando o quadro de um paciente se mostra tão complexo que os exames de imagem não são suficientes para auxiliar os médicos no procedimento. Foi isso que fizeram os profissionais de um hospital de Nova York, que conseguiram salvar a vida de um bebê, com apenas duas semanas de vida, graças ao auxílio de um coração 3D. 
  • Cirurgias de coluna: Impressão 3D também auxilia os médicos a planejar cirurgias de coluna e fazer diagnósticos. Quanto mais precisa a réplica em plástico, maior a ajuda na cirurgia de coluna para a colocação de pinos, por exemplo.

E você, conhece alguma outra referência de novas tecnologias na saúde? Leia a matéria completa e original no site do Plástico Transforma.

Comentários