A refrigeração em prol do planeta

A refrigeração em prol do planeta

Cientistas descobriram que a refrigeração pode ser empregada para remover poluentes do ar exterior, num estudo internacional envolvendo a Universidade de Nottingham Trent, na Inglaterra, e a Academia Chinesa de Ciências, que debruçou-se nos caminhos para modificação simples de ar condicionado e unidades umidificadoras para disponibilizarem a opção de limpar o ar interno poluído.

A pesquisa, liderada pelo professor da NTU, Gang Pan, envolveu o estudo da eficácia da criogenia para a purificação do ar interior, removendo os gases poluentes e partículas pequenas causadas pela cerração. A equipe descobriu que ao circular o ar poluído por meio de um condensador criogênico, as partículas mais finas e que ficavam grudadas no tubo do equipamento soltavam-se pela gravidade emergindo já como ar limpo. O método foi capaz de remover 99% das partículas.

Também verificou-se que 98% de NO2 (dióxido de nitrogênio) pode ser condensado e retirado do ar ambiente a -50°C, implicando que o método seria eficaz para vários poluentes com maior ponto de ebulição. Os desenvolvedores afirmam que a condensação criogênica pode fornecer um princípio para a purificação do ar interior contínua por meio de condicionadores de ar modificados e umidificadores em casos onde os benefícios para saúde compensam as preocupações de consumo de energia.

A poluição atmosférica exterior afetou severamente a qualidade do ar interior, ameaçando a saúde de bilhões de pessoas,” disse o Professor Robert Mortimer, pesquisador do estudo e reitor da School of Animal, Rural and Environmental Sciences, na Universidade de Nottingham Trent. Ele complementa: “a poluição ao ar livre nas cidades é um problema global, quer se trate de neblina que flagela Beijing ou a pobre qualidade do ar impactando na saúde das crianças nas escolas de Londres. Embora existam algumas tecnologias existentes para purificar o ar interno, elas podem ser ineficientes, caras ou produzir subprodutos nocivos. Quando a qualidade do ar exterior é ruim, as pessoas tendem a passar mais tempo em ambientes fechados – mas poluição ao ar livre também leva a poluição interna e as pessoas ainda são impactadas“.

Professor Gang Pan é quem acrescenta: “mostramos em nossos experimentos que simplesmente por circulação de ar poluído através de uma pequena câmara de criogenia  podemos remover a maioria de partículas finas e de gases poluentes. Nosso estudo torna possível adicionar uma opção de ‘ar’ para aparelhos domésticos em áreas que podem enfrentar condições de ar extremamente pobre. Controlando a poluição do ar interior e melhorando a qualidade do ar desta forma, este trabalho pode ser extremamente benéfico para a saúde pública“.

O estudo foi relatado no jornal Science of the Total Environment e pode ser lido na íntegra acessando aqui!

Facebook Comments

Deixar uma resposta