Criando estratégias de carreira

Por Ana Toshimi - Consultora de estratégia para negócios de gastronomia

A conversa do podcast foi tão rica e divertida que eu senti vontade de compartilhar mais sobre tudo aquilo. A ideia é complementar alguns pontos da conversa e trazer mais dicas práticas. Aqui tem um pouco de tudo, um pouco de estratégia, um pouco de empreender, um pouco de comportamento e muito sobre ser você. Muito do que escrevi são coisas que gostaria de ter ouvido quando comecei. Espero que ajude!

Entenda que sua carreira é única e só sua  

Você não vai mudar de carreira, mesmo que mude de setor. Sua carreira é o conjunto de experiências, vivências, erros e acertos ao longo da sua vida profissional. A gente sempre leva os aprendizados de uma função para outra, de uma empresa para outra, de um setor para outro, mesmo que eles pareçam muito diferentes. Sua carreira é uma só e é só sua – ela é única.  

Ela não é linear, não vai te levar em linha reta do ponto A para o ponto B. Ela se transforma constantemente com a sua experiência e vai se construindo ao longo do tempo. 

Não tem certo ou errado, melhor ou pior.  Trabalhar para os outros, trabalhar por conta própria ou criar uma empresa são todos passos de carreira da mesma forma. 

Importante é entender suas habilidades, talentos e preferências para se desenvolver e construir o caminho que faz sentido para você.  

Entenda que empreender não é sinônimo de sucesso  

Para começar, as definições de sucesso não são únicas. Tem gente que quer realizar, tem gente que quer poder, tem gente que quer reconhecimento, que  quer dinheiro, que quer ser famoso,  que quer segurança, tem gente que quer tudo e para tudo. 

Empreender muitas vezes é visto como o ápice de uma carreira.  

O empreendedor é alguém que chegou lá (seja lá onde esse lá for), mas empreender pode não ser a melhor escolha para você nesse momento, ou em qualquer outro. 

Muitas pessoas são felizes e excepcionais em posições operacionais. Lá, elas podem desenvolver todo o seu potencial e se tornarem referência. Nem sempre elas se darão bem gerindo um negócio que demanda uma série de outras habilidades e renúncias.  

Antes de dar seu próximo passo de carreira, reflita sobre o que sucesso significa para você e busque isso. 

Entenda que você não é a sua função, emprego ou posição 

Você está aquilo naquele momento da sua carreira. 

Você está barback, você está bartender, você está chefe de bar, você está embaixadora de marca, você está professora, você está consultora.  

Sua posição no momento não define a sua carreira, ela é só mais um estágio no caminho todo. 

Entenda que seu trabalho é um meio

Estar bartender possibilita uma série de contribuições para empresas, marcas e clientes. Com seu trabalho em coquetelaria você pode, por exemplo: 

Ensinar e compartilhar conhecimento  

Inspirar pessoas  

Atrair atenção para o mercado, uma marca ou uma causa   

Entreter e divertir 

Servir e cuidar  

Criar e colaborar  

Tudo que alguém que está bartender pode fazer, mas alguém que está fotógrafo, atleta ou engenheira também pode. 

A atividade que exercemos é o meio, a forma para realizar contribuições maiores. Você pode gostar de compartilhar conhecimento e pode fazer isso na barra, na sala de aula presencial ou digital, como líder, com consultoria para negócios, com assessoria para marcas, em competições. 

Onde você faz e em que função é menos importante do que a contribuição em si. Ela pode ser só o veículo da sua realização. Então, olhe para as contribuições do seu trabalho e persiga isso na sua carreira. 

Olhe para o futuro e realize no presente 

A gente vai tão longe quanto consegue imaginar. Pense onde você quer chegar. Não tem problema se não sabe bem, não precisa ser daqui há dez anos. Pode ser a próxima posição ou projeto.  

Onde você quer chegar não é o ponto final, é só próximo estágio. Você vai ver que ao chegar lá, já terá mudado tanto que estará pronto para ir para o próximo desafio. 

Agora, se você tiver um desejo, uma visão que parece muito distante, pense em quais os passos anteriores são mais alcançáveis. 

Se você tem a visão de ir trabalhar para indústria, mas acabou de começar, pense e observe quais habilidades você precisa. Escolha uma delas e desenvolva onde você está agora. 

Ou, se você quer ser chefe de bar, não espere chegar lá para agir como tal. Se um chefe de bar tem que se relacionar bem com a equipe ou organizar os processos, comece hoje a agir assim, vai trazendo a posição que você quer ter no futuro para o seu comportamento no presente, porque isso vai diminuir a distância. 

Leia também: Como potencializar seus ingredientes e sua carreira no bar?

Invista nos relacionamentos  

Como eu descubro os passos para assumir outras funções e desafios?  

Converse, pesquise, pergunte. Investir em relacionamento vale em qualquer estágio da sua carreira. Pense nas pessoas que podem te ajudar a se desenvolver, seja com informações ou apresentando outro as pessoas, ensinado a parte técnica ou sendo modelo de comportamento. 

Uma dica: às vezes a gente acha que network é só conhecer pessoas, mas não. Network valioso é aquele que existe troca, os dois lados ganham com o relacionamento.  

Um jeito de cuidar e ampliar a sua rede é em vez de só se perguntar quem pode me ajudar, pergunte como eu posso contribuir para essa pessoa. 

Conecte-se com alguém compartilhando algo de interesse da pessoa (uma matéria, um livro, um produto novo, etc) ou oferecendo para ajudar em alguma tarefa ou evento. Sempre tem algo que a gente pode oferecer. 

Ah! Tente ser específico na sua ajuda. Não jogue um “estou à disposição para qualquer coisa”. Ofereça algo que ajude a pessoa de fato e que você faça bem. 

E lembre-se de não cuidar só das relações com pessoas que estão mais avançadas na carreira. Você pode trocar com pessoas que estão no mesmo estágio que você ou mesmo com as mais iniciantes. Compartilhe a sua experiência e talentos ativamente. Todo mundo tem algo a ensinar e a aprender.  

Melhore sua autopercepção 

Sim, é sobre autoconhecimento. Não dá para escapar, é muito importante. 

Entenda-se melhor, observe o que você faz bem e o que te dá energia. 

Observe que tipos de atividades te desafiam na medida certa. 

Pense também em como você quer que os seus dias sejam. É essencial que seu trabalho seja compatível com o que você precisa e acredita.  

Entenda o que é importante para você se desenvolver e busque pessoas e ambientes que proporcionem isso. 

Pense como empreendedor 

Não pense na sua carreira só como uma sequência de funções, mas como resultados, impacto e contribuição. Como a gente viu, você pode escolher o meio de fazer isso e são infinitas formas.  

Agora, o que a sua carreira faz para melhorar o seu entorno? Que transformação você quer causar? Que soluções você quer trazer? Que problemas do mundo você quer resolver? 

Essa é uma habilidade de empreendedor: buscar oportunidades e resolver problemas. Você pode desenvolver essa habilidade onde estiver, como empregado, como liderança, como autônoma e como empreendedor. 

Você não precisa abrir uma empresa para pensar como empreendedora, mas, se você quer ter uma, comece pensando como tal. 

Inspire-se em pessoas que admira. Não copie as ações delas, mas modele comportamentos  

Como nossas carreiras são únicas e não é possível copiar a dos outros, não adianta seguir os passos de alguém, porque a gente não vê a história toda. Vale a pena saber os passos, mas não vale copiar. 

Em vez de focar na só parte técnica operacional ou iniciativas da pessoa, investigue e observe os comportamentos. Como alguém que alcançou algo que eu admiro se comporta, no que ela se destaca, tente entender o que está por trás. Além disso, cada um tem uma história de vida. Tudo contribui para a formação de uma pessoa. Profissional e pessoal andam juntos. 

Aquele profissional é reconhecido no setor? O que faz ele ser tão criativo, o que ele faz quando não está criando, como ele busca referências? Tem uma boa comunicação, é organizado, tem bons relacionamentos, é mais analítico, mais criativo, mais estudioso? 

O que elas fazem hoje é resultado de um monte de coisas que elas fizeram no passado e como se desenvolveram. 

Evite glamourizar a carreira alheia 

Lembre-se de quer a gente não vê a história toda. Todo mundo tem desafios. 

As pessoas trabalham duro para avançar. Geralmente, as partes que vemos são um recorte, os melhores momentos, tem muito mais quando a gente não está olhando. 

Busque referências e construa repertório no seu mercado e fora dele 

Tem oportunidade de desenvolvimento para todo lado. Observe ao seu redor, onde você trabalha, o seu mercado. Informe-se sobre as tendências, sobre as demandas e sobre os desafios. 

Lembre-se que é menos sobre o que se executa e mais sobre a contribuição. 

As inovações acontecem quando alguém decide resolver um problema que ninguém resolveu ainda ou achar uma solução melhor do que as que existem. 

Você pode buscar referências em outros mercados também. Como uma fotógrafa, uma engenheira, um cozinheiro ou um músico que você admira realizaram seus feitos? Se, em vez de focar na função, você focar nos resultados dessas pessoas e nas transformações que elas promovem, você pode usá-los de modelo também. 

Junte todos esses pontos 

Agora que você já vê carreira além da função que você exerce, entende que sua carreira é única e não dá para copiar dos outros, que você não precisa empreender para pensar como empreendedor, se comporta no presente para se aproximar do futuro e cuida da sua autopercepção e dos seus relacionamentos você pode pensar na sua carreira com mais intenção.  

Ao focar do seu desenvolvimento, cuidar dos seus relacionamentos e ampliar seu repertório, buscando melhorar algo à sua volta, sem saber você já está construindo o seu próximo estágio, mesmo que ele não esteja claro. 

Várias funções, profissões, soluções, marcas e empresas não existem ainda, você pode criar uma para você se observar si mesmo e as oportunidades ao seu redor. Imagine, crie e compartilhe o seu caminho!