Descubra por que drinks engarrafados são tendência no setor de bares

0
220
Em cima de balcão de madeira, 5 garrafas pequenas de bebidas, em tons escuros e transparentes.

Com todas as mudanças trazidas por esses tempos de pandemia, uma tendência importante no consumo de coquetéis são os drinks engarrafados. Por isso, esses coquetéis têm surgido cada vez mais nas prateleiras de supermercados e nos sistemas de delivery e têm força para seguir conforme o setor de bares, bebidas e restaurantes retoma as suas atividades.

Mas como as bebidas engarrafadas se tornaram tendência para o seu negócio e por que vieram para ficar? Para falar mais sobre isso, o BCB Shots, série de webinars do BCB São Paulo, falou sobre “O segredo dos engarrafados” com Jéssica Sanchez, Paulo Ravelli e Xan Ravelli.

Jéssica Sanchez é bartender, professora de coquetelaria, mixologia, destilados e vinhos, e proprietária do Vizinho Gastrobar, especializado em coquetelaria com foco em craft cocktails. Paulo Ravelli é bartender, consultor e tem passagens por casas como Mori Ohta Sushi, Só Shots e Caju, onde recebeu o título de Melhor Negroni de São Paulo pela Folha de S. Paulo. Também é sócio do bar 50/25 Engarrafados, empresa que comercializa drinks engarrafados, ao lado de Xan Ravelli, que também é CEO e criadora de conteúdo da plataforma Soul Vaidosa.

Eles conversaram com Carolina Oda e Marco de La Roche a respeito dos novos caminhos de consumos, possibilidades para bares e restaurantes e por que as bebidas engarrafadas vieram para ficar. Então assista ao webinar na íntegra no vídeo abaixo e veja os destaques do encontro na sequência:

Os drinks engarrafados pré-pandemia

De acordo com Jéssica Sanchez, antes da pandemia os drinks engarrafados já estavam no radar de bares e restaurantes. “No momento pré-quarentena, já acontecia um movimento de engarrafados, com várias marcas lançando coquetéis enlatados e engarrafados no fim do ano e começo de 2020”.

Dessa forma, segundo a especialista, “não foi estranho enxergar esse formato como o principal para colocar produtos no mercado, pois bares e restaurantes precisam pensar em maneiras de levar produtos e experiências para as casas das pessoas”.

A própria 50/25 teve que acelerar a sua criação. “Tivemos que antecipar lançamentos por causa da pandemia. Já estávamos em busca do nosso bar físico e, ao mesmo tempo, do lançamento de drinks engarrafados. Adiantamos e nos adaptamos a tudo isso”, disse Paulo.

Leia também: Por que as bebidas nacionais são mercado com enorme potencial

Xan Ravelli concorda. “O coronavírus está adiantando processos que só aconteceriam daqui algum tempo, então quem já pensava em fazer algo relacionado a coquetéis engarrafados, acelerou o processo para aumentar o seu alcance”, disse.

“Em janeiro, estive em Nova York e o mercado local já cogitava aumentar o uso de drinks engarrafados. Com a Covid, nós mudamos a nossa estratégia de abrir um bar físico e focamos nos engarrafados”, complementou.

A diferença do drink no bar e em casa

“Consumir drinks em bares é uma experiência insubstituível”, admitiu Jéssica Sanchez. Apesar disso, é possível pensar em vários recursos que também proporcionem boas experiências na casa dos clientes a partir de drinks engarrafados. “É importante que a marca se pergunte o que deseja entregar ao cliente com seus produtos e qual o seu conceito de marca”.

Ao mesmo tempo, ela apontou que “nem tudo o que você usa no bar pode ir de forma engarrafada. Por isso é fundamental pensar em ingredientes, formas de preparo e técnicas de armazenamento para engarrafar ou enlatar drinks que não atrapalhem o paladar e a experiência do cliente. Afinal, nem sempre você utiliza a mesma fruta que usaria em um drink no bar”.

Leia também: Delivery de bares e restaurantes: como fazer entregas com qualidade?

Em relação a ingredientes e paladar, Paulo Ravelli explica que a 50/25 levou isso em consideração para criar um cardápio que agradasse ao público brasileiro, mais interessado em drinks adocicados. “Na nossa engenharia de cardápio, procuramos por receitas mais clássicas e, também, buscamos equalizar investimentos, objetivos de alcance e percepção de marca. Um dos drinks, de Piña Colada, é um dos que mais vende, por exemplo. Tudo de acordo com as diretrizes de legislação para levar um produto de qualidade ao cliente”, contou.

Da mesma forma, ao levar a experiência da marca para a casa das pessoas, também é muito importante reforçar o seu conceito comercial e os seus valores. É o caso da 50/25, que faz questão de abordar a identidade negra em sua mensagem e, dessa maneira, dialoga com seu público-alvo e permitindo o reconhecimento dele nos produtos.

“O nosso produto é uma afirmação de quem nós somos, nos afirmando como uma empresa de pessoas negras em uma indústria majoritariamente branca. Desde a escolha da nossa identidade visual, passando pelos fornecedores, até o nosso delivery tem como foco a identidade negra, então temos uma preocupação em mostrar quem somos”, contou Xan Ravelli.

Como aproveitar os drinks engarrafados

Jéssica Sanchez acredita que coquetéis enlatados e engarrafados são uma oportunidade para alcançar o grande público. “Diante dos altos custos relacionados ao preparo de coquetéis, é fundamental estudar maneiras de deixar os drinks mais acessíveis para o público. Coquetéis naturais enlatados, por exemplo, são uma maneira de estar em vários lugares de uma forma acessível”, afirmou.

Ao mesmo tempo, para aproveitar essa chance de estar em mais lugares do que no bar físico, é fundamental investir em relacionamentos, buscar anúncios em meios digitais como sites e redes sociais e, principalmente, estabelecer um bom diálogo com o público. “Dessa forma, as pessoas vão criar um carinho pela sua marca, que não será esquecida”.

Assim acontece com a 50/25. “A nossa comunicação e venda é totalmente pelo WhatsApp, e estamos também no Instagram e no Facebook para divulgar os produtos em postagens, Stories e enquetes que promovem uma interação e conversão muito rica. Por isso, pensamos em personas para a nossa marca, e o atendimento é todo personalizado e descontraído”, revelou Xan Ravelli.

Além disso, é preciso também adaptar os produtos, para evitar efeitos desagradáveis no paladar dos coquetéis. Isso é mais importante ainda no caso de drinks engarrafados com base em produtos naturais, que vão apresentar variações. “Preferimos fazer o uso de destilados e ter muito cuidado com drinks com acidez, para evitar oxidação”, exemplificou Paulo Ravelli. “É preciso se adaptar”.

Agora que você sabe um pouco mais sobre os segredos dos drinks engarrafados, veja outros temas do setor abordados pelo BCB Shots