Nem só de álcool se faz um bom coquetel; aprenda a usar os mixers

Por Nossa

bom-coquetel-drinks-bebidas
Foto Reprodução / Unsplash

O popular Gim-Tônica ou o clássico Highball são bons exemplos de que nem só de álcool é feito um bom coquetel. A maior parte desses drinques leva água-tônica ou club soda. E, sim, a qualidade desses ingredientes faz toda a diferença.

Na coquetelaria, essas bebidas sem álcool são conhecidas como “mixers”. Como o nome em inglês sugere, elas são feitas para serem misturadas com destilados e/ou fermentados (alguém aí pediu um Vermute Tônica?).

Até pouco tempo, a variedade de mixers no Brasil não era grandes coisas e a maioria era vendida como se fosse refrigerante. O sucesso do Gim-Tônica mudou ligeiramente esse cenário: de uns dois anos para cá, chegaram às prateleiras marcas importadas como Fever Tree, London Tree e Riverside, com produtos voltados para a coquetelaria. Empresas nacionais também apostam no segmento, caso da Águas Prata.

“Antes o cliente perguntava do gim. Agora ele já quer saber que tônica estou usando”, conta Alexandre D’Agostino, chefe de bar do Apothek, que fechou antes do início da pandemia de coronavírus e deve reabrir com novo formato após o fim da quarentena.

“É um mercado que ainda vai crescer bastante, tem demanda”, afirma D’Agostino. Mas você não precisa esperar a oferta de produtos aumentar para experimentar com os mixers em casa. A seguir, mostramos quais são os mais usados e como aproveitá-los para fazer seus coquetéis.

Essa é uma seleção de conteúdo da Reed Exhibitions sobre o mercado. Para continuar lendo, visite o site Nossa com a matéria completa.