Macunaíma, drinque clássico do Boca de Ouro

O drinque Macunaíma se tornou um queridinho da coquetelaria brasileira

macunaimaSe um coquetel pode se tornar o novo clássico brasileiro hoje, ele é o Macunaíma.

Para Arnaldo Hirai, sócio bartender, é o drinque mais vendido no bar. Mais democrático e amado do Boca, já foi servido até em canecas de chopp cheia a pedido de clientes.

Renato Martins, sócio bartender, diz que o Macunaíma serve como porta de entrada para quem não conhece drinques.

O livro Macunaíma, escrito em 1928 pelo monstro da literatura Mário de Andrade, tem como personagem principal o próprio Macunaíma, mais conhecido como o anti-herói brasileiro, ou também o “herói sem nenhum caráter”, mais ainda, o “herói de nossa gente”. Preguiçoso e enrolado, cativa todos por onde passa.

É o jeitinho brasileiro em pessoa. O Macunaíma do bar Boca de Ouro também. No cinema, foi dirigido por Joaquim Pedro de Andrade em 1969, e interpretado brilhantemente por um dos maiores atores deste país, Grande Otelo.

Tão famoso o drinque ficou que já começou a ser residente de outros bares também. Você pode encontrá-lo nos cardápios do Barouche (SP), DUB (BH) e possivelmente outros por aí.

 

APRENDA A RECEITA

Macunaíma

macunaima45 ml de cachaça branca
25 ml de xarope de açúcar
20 ml de suco de limão
7 ml de Fernet Branca

Coloque todos os ingredientes em uma coqueteleira com bastante gelo e bata bem. Coe duplamente para um copo “barriquinha” e sirva sem canudo e sem decoração.
Se quiser seguir o estilo de serviço do Boca de Ouro, coloque um guardanapo retangular dobrado embaixo do copo, assim como na foto ao lado.

 

Essa é uma seleção de conteúdo da Reed Exhibitions Alcantara Machado sobre o mercado. Matéria publicada originalmente em Mixology News.