De olho na sustentabilidade

De olho na sustentabilidade

Para a maioria dos varejistas, a palavra “sustentabilidade” é usada no sentido de “eficiência operacional”. Não fazer distinção entre estes conceitos exclusivos é um equívoco justificável, pois embora eles não sejam sinônimos, estão relacionados. Porém, nunca é tarde para uma marca expandir seu foco além de uma mentalidade bottom-line (eficiência operacional) e amplificar seus esforços para preservar os recursos naturais (sustentabilidade). E uma maneira dos varejistas se tornarem mais sustentáveis é examinando o projeto e construção de lojas, além de as remodelar.

Em vez de alocar fundos para a construção de novas lojas destinadas a alcançar zero energia, certificação LEED, Energy Star, os varejistas poderiam gerar mais valor – financeiramente e ambientalmente – se focassem em lojas atuais com aplicação do retrô-comissionamento, processo sistemático usado para melhorar o desempenho de um edifício existente, que pode identificar melhorias operacionais para aumentar o conforto dos ocupantes e poupar energia. Empreender uma iniciativa para maximizar a eficiência dos sistemas e equipamentos existentes não só melhora o desempenho, mas apresenta o conjunto ideal de circunstâncias para implementar fontes limpas, como a energia solar. Numa pesquisa mundial, estimasse que grandes marcas varejistas remodelam suas lojas de cinco a dez anos.

Confira quatro ações para que os varejistas incorporem em seu projeto de retrofit.

 

Implementação de energia limpa

Fazer a troca eficiente dos modelos de energia atuais para os verdadeiramente sustentáveis requer um projeto bem pensado, utilizando fontes limpas em sua totalidade. Fique de olho nos painéis solares, que convertem 100% da energia absorvida em eletricidade. Adição de painéis solares no telhado da loja não só reduz emissões de gases com efeito de estufa, mas também aumenta a eficiência de energia da loja em 40%. Os varejistas que não têm controle do espaço externo impossibilitando instalações, podem optar por adquirir a eletricidade renovável de companhia elétrica da cidade ou município.

Monitoramento de água

Energia não é o único recurso que pode ser otimizado. O uso de água pode ser monitorado sem problemas com um aplicativo automatizado, baseado na nuvem, como a plataforma APANA (www.apana.com), que gerencia a água como um inventário, fazendo com que seus clientes tenham de 18 a 25% de economia em contas de água e esgoto. Por meio do monitoramento no consumo de água diário, gestores de construção podem identificar os dispositivos elétricos que são menos eficientes, além dos equipamentos e sistemas de construção que requerem upgrades no futuro.

Seleção de matérias verdes

Graças a iniciativas como o Declare (living-future.org/declare), GREENGUARD (greenguard.org) e Cradle To Cradle (c2ccertified.org), nunca foi tão fácil pesquisar e comprar materiais verdes, sendo possível até mesmo saber quais empresas não descartam seus produtos em aterros após a vida útil do mesmo. Materiais verdes podem melhorar a qualidade do ambiente interior de um espaço e para os varejistas, por exemplo, que trabalham com acabamentos, são especialmente importantes, já que consumidores e empregados interagem diretamente com esses elementos em uma base diária. Solicitando um material não tóxico, um varejista pode melhorar a qualidade não só da loja, mas do dia a dia e saúde das pessoas.

Incentivar a gestão de resíduos

Remodelar seu varejo com foco na sustentabilidade deve incidir sobre três iniciativas: reduzir, reutilizar e reciclar. Mais que trabalhar e especificar produtos ecologicamente corretos e não-nocivos ao homem, os varejistas devem pensar ainda na redução da quantidade de resíduos por meio da implementação de um plano de gestão, sejam provenientes de uma nova loja construída ou mesmo descarte e transporte de concreto, asfalto, madeira, metais, gesso e coberturas. Embora existam muitas empresas de terceiros para realizar o trabalho, é importante educar os responsáveis por essa área em seu varejo, separar os materiais recicláveis e enfatizar a importância da gestão também para o empreiteiro. Assim, damos mais um passo na gestão ambiental dentro da indústria de construção.

A realidade da situação (e a oportunidade de mudá-la)

É irreal esperar que todos os varejistas adotem uma postura e modelo de negócio totalmente sustentável. No entanto, é viável que se comece especificando materiais, sistemas e equipamentos de construção mais verdes. Com marcas nacionais e internacionais operando milhões de locais de armazenamento, mudando um único elemento na remodelação de um varejista pode ser o caminho para benefícios exponenciais. Essas ações individual e coletivamente, são o trabalho de base para um futuro sustentável. Quando se trata de sustentabilidade no varejo, um passo na direção certa é sempre positivo, que pode começar com a otimização no design e construção da loja, sendo um primeiro passo em direção a melhorar o nosso planeta.

 

Conteúdo Proprietário – Reed Exhibitions Alcantara Machado
Produção: A4&Holofote Comunicação

Facebook Comments