A casa pentagonal da Filipe Saraiva Arquitectos em Portugal

A casa pentagonal da Filipe Saraiva Arquitectos em Portugal

Inspiradora não só apenas como moradia, mas pela eficiência na hora das adversidades climáticas de Portugal, a casa projetada pela Filipe Saraiva Arquitectos já é referência em Ourém, cidade portuguesa pertencente ao distrito de Santarém, imponente pela sua configuração retangular, com uma inclinação descendente para o sul, ao lado da estrada de passagem principal.

A diferença de altura entre o ponto mais alto e o mais baixo é de aproximadamente 4,50m e mistura-se com a paisagem local em simplicidade, tal como uma casa desenhada por crianças em qualquer parte do mundo. “Quando pedimos a uma criança para desenhar uma casa, todas elas invariavelmente nos apresentam uma representação simplista que consiste em cinco linhas, um retângulo e dois quadrados. O pentágono, composto por essas linhas, representa as paredes e o telhado, enquanto o retângulo deve representar a porta e as janelas”, revelam os proprietários dessa verdadeira obra de arte sobre como pensaram que deveria ser o projeto.

Pensada para satisfazer à família e amigos, mas também para atender suas necessidades funcionais e contemplar uma variedade de requisitos arquitetônicos que fazem parte do imaginário formal e espacial dos clientes, do terreno vazio ao resultado final o desenvolvimento do projeto tornou-se um processo natural onde as pretensões e memórias afetivas começaram a dar significado ao desenho. “Independente da cultura ou referência arquitetônica de cada lugar, todas as casas têm características que são transversais a cada um de nós, já que representam um abrigo que nos protege do mundo que nos rodeia. É o nosso refúgio e o nosso universo…é como nos expressamos e nos identificamos”, complementam os moradores.

A partir daí, o desenho começou a ganhar forma e o conceito, que tinha como base o princípio da composição modular, a seguir o caminho imaginado. O método construtivo adotado consistiu no uso de painéis de concreto pretos pré-fabricados, que com sua dimensão regular definiu a estereotomia do projeto. A ideia conferiu uma integração harmoniosa com a paisagem, além de vislumbrar uma significativa redução nos custos de manutenção.

Em termos formais, a casa resulta em um volume simples e perfeitamente regular, quase monolítico, artisticamente elaborada desde a porta de entrada, em madeira e com um design que remete a dobraduras, à suntuosa parede principal, inteiramente de vidro do chão ao teto, que revela a delicadeza e bom gosto da área social, conferindo uma abundância de luz natural, e reservado para as noites frias, o desfrute do calor da lareira.

Com parte íntima, além de uma biblioteca e home office, reservada ao segundo andar, destacam-se ainda o pátio – com deck em madeira e areia ondulada – e também o jardim frontal, configurado como uma sala circular com bancos, uma pira e um espelho d’água, que dá acesso a lateral da residência – adornada com uma grande variedade de plantas -, até a parte de trás da casa, que revela uma parede com material semitransparente, que quando aberta revela a garagem.

 

CRÉDITO FOTO: © João Morgado Fotografia de Arquitetura – www.joaomorgado.com 1

 

Conteúdo Proprietário – Reed Exhibitions Alcantara Machado
Produção: A4&Holofote Comunicação

Facebook Comments