Manufatura 4.0 e massificação dos produtos para obtenção de escala serão levantados...

Manufatura 4.0 e massificação dos produtos para obtenção de escala serão levantados no Encontro de Líderes da Indústria

“Nós vivemos um momento de acelerada transformação”, essas foram as palavras do Vice-presidente e membro do Conselho de Manufatura da MAN Latin America, Adilson Dezoto, presença confirmada no Encontro de Líderes da Indústria da MECÂNICA MANUFACTURING EXPERIENCE.

Em entrevista, Dezoto situa o atual cenário da indústria brasileira na era da hiperconectividade e adianta sobre o que será abordado na palestra “Qual será o impacto dos processos e tecnologias do conceito de Manufatura Avançada na mão de obra atual da Indústria Brasileira?”. Confira!

MECÂNICA: O Encontro de Líderes abordará os diversos aspectos da tecnologia, inovação e gestão de pessoas na indústria brasileira. Qual a importância de falar desses temas para profissionais de todas as indústrias dentro do mais tradicional evento do país?

Adilson Dezoto: Nós vivemos um momento de acelerada transformação. Vivemos um momento talvez parecido com a introdução dos PCs no universo cotidiano das empresas. Os impactos são enormes em todos os aspectos. Muda o perfil do profissional, o lay-out das unidades, dos escritórios e a forma de gerir.  Os nossos escritórios tradicionais estão com os dias contados. Vejo a hiperconectividade e a facilidade de acesso remoto às informações como principais facilitadores para o trabalho externo. O ambiente tende a ficar mais leve e informal. O trabalho a distância deve se acelerar. No ambiente fabril a interação homem-máquina já começa a ganhar um novo patamar. A gestão de pessoas também passa por um processo de transformação, com a transformação da própria linguagem de comunicação. Tudo isso irá alterar profundamente a não só a nossa vida na fábrica, mas a nossa vida cotidiana. Por isso é muito importante para todos a discussão aberta sobre o que vem por aí.

M:O que você pretende discutir em sua palestra no Encontro de Líderes?

AD: Acho que temos que discutir todo este processo de transformação. Não só os ligados a manufatura 4.0, mas também toda esta questão da massificação dos produtos para obtenção da escala, mas contrapartida da descentralização da produção como forma de diminuir o impacto ambiental ou sua concentração. Também precisamos discutir um ponto muito importante para nós que é a situação da nossa cadeia de fornecimento e a sua prontidão para suportar uma retomada.

M: Na sua opinião, qual o principal desafio da indústria neste cenário de retomada e de transformação digital?

AD:Temos dois grandes desafios.

Para a retomada, temos hoje uma cadeia de fornecimento desarticulada. Sem uma reorganização da base de suprimentos teremos dificuldade para a retomada, dependendo de sua intensidade.

Para a transformação digital o nosso problema de base com a educação pode ser um fator complicado. Também temos que considerar nossa capacidade de desenvolvimento. Corremos sério risco de virarmos ainda mais aplicadores de tecnologia.

 

Adilson Dezoto dividirá o palco com Rogério Cher, consultor e ex-diretor de RH da Natura, e Dante Crippa, diretor de operações global da Bunge, dia 26 de abril durante a MECÂNICA MANUFACTURING EXPERIENCE. Para assistir ao painel Qual Será o Impacto dos Processos e Tecnologias do Conceito da Manufatura Avançada na Mão de Obra Atual da Indústria Brasileira?, basta se credenciar gratuitamente e se inscrever no Encontro de Líderes da Indústria.

 

 

Conteúdo Proprietário – Reed Exhibitions Alcantara Machado
Produção: Izabella Mota

 

 

 

Facebook Comments

Deixar uma resposta