Digifort: a evolução das necessidades do mercado demanda constantes investimentos em inovação...

Digifort: a evolução das necessidades do mercado demanda constantes investimentos em inovação e aumenta a competitividade do setor

Especialista em software de segurança e inteligência em videomonitoramento, a Digifort é presença confirmada na ISC Brasil 2019, onde apresentará seu portfólio de soluções e inovações na função de reconhecimento facial através do uso de deep learning.

Com matriz em São Caetano do Sul – São Paulo, diversas filiais e escritórios pelo mundo, a Digifort está presente em mais de 120 países e com o sistema traduzido para mais de 18 idiomas, possuindo uma sólida reputação e uma atuação ampla em todas as verticais do setor.

Julio Cesar de Andrade, gestor de projetos da marca, acredita que o cenário político e do próprio mercado de segurança pública e privada deve mudar muito nos próximos dois anos, exigindo uma evolução constante e que proporcione a prevenção e ação imediata.

Julio Cesar, gestor de projetos da Digifort

Em entrevista exclusiva para nosso Canal, Julio conta um pouco sobre as novidades e o foco dos investimentos da Digifort nos próximos anos diante do panorama que se desenha hoje.

Para a ISC Brasil, a expectativa é que a inovação esteja presente em toda a feira e possibilite um ambiente de aprendizado para clientes, fornecedores e colaboradores da marca: “Entendemos que a Feira ISC é o melhor caminho para se manter atualizado e de certa forma competitivo, pois os conhecimentos nela adquiridos serão fundamentais para o desenvolvimento de novos projetos relativos ao nosso setor”, diz Julio.

Confira abaixo a entrevista completa:

ISC Brasil – O mercado de segurança vem evoluindo rapidamente com o avanço tecnológico e inovação de sistemas nos setores público e privado. Como sua empresa tem se preparado para esta nova fase?

Julio Cesar – Hoje a Digifort já atua em todas as verticais do mercado, desde o pequeno ao grande projeto. Porém, é um mercado em constante evolução, assim como a criminalidade não descansa, nós que buscamos soluções justamente para aumentar o nível de segurança e inteligência em sistemas de monitoramento também não. Além das novidades de utilização, novas funcionalidades e novos equipamentos que virão na próxima versão 7.3 do software, também temos novidades em relação às demandas do mercado, como por exemplo a integração de um analítico inteligente de vídeo diferenciado, que se baseia em uma rede neural de aprendizado e que pode ser “ensinado” em suas funções de reconhecimento. Criamos também o Digifort Cloud, trazendo a nuvem para um novo patamar, apresentando grandes melhorias e funcionalidades, diferenciando das demais soluções já existentes e possibilitando a integração de câmeras residenciais e até mesmo para aquele pequeno comerciante, que não possui espaço ou investimento para uma infraestrutura de segurança e que todos possam utilizar toda a robustez da solução Digifort.

Temos ainda um novo algoritmo de reconhecimento facial, via deep learning, cujo índice de acerto ultrapassa 99%, permitindo assim a identificação com maior precisão e qualidade, podendo ser utilizado em câmeras fixas e domes PTZ durante o dia e mesmo a noite com baixa iluminação.

 

ISC Brasil – Na visão da marca, quais os principais desafios que o setor enfrenta no biênio 2019-2020?

JC – Como mencionado anteriormente, o mercado está em constante evolução, algo que é demasiadamente rápido e necessita de investimentos. Atualmente, com nosso cenário político-segurança-patrimônio, a criminalidade começa a se sentir em risco e acaba por se reinventar. De certo esse cenário é constante, porém neste momento, e cremos que nos próximos 2 anos, haverá mudanças significativas no setor e dessa forma poderão ocorrer confrontos até mais significativos entre a segurança pública e o crime organizado. Nossa função, como empresa que visa auxiliar o setor público e privado, é minimizar ou erradicar esses possíveis cenários, e apresentar soluções robustas e confiáveis proporcionando a prevenção e ação imediata.

 

ISC Brasil – Qual o foco dos investimentos de sua empresa até 2020?

JC – Desenvolvimento de novos módulos e novas facilidades, aumento do nível de inteligência e a extensão do atendimento aos projetos que não possuem possibilidades de arcar com infraestruturas próprias. Nosso objetivo é incentivar cada vez mais o uso das novas tecnologias, principalmente o uso de módulos inteligentes que facilitam o dia a dia dos usuários e permitem um resultado rápido e preciso. Continuamos investindo pesadamente no Brasil onde somos líder absoluto nessa área, mas temos diversos projetos para investimentos no exterior onde já distribuímos nosso software para mais de 130 países em 18 idiomas. Em 2019 estamos dando grande foco para a América Latina em países que ainda não tínhamos atuação como El Salvador, Guatemala, Honduras, Panamá e outros.

 

ISC Brasil – A ISC Brasil é palco para desenvolvimento do setor de segurança pública, segurança eletrônica, segurança privada e segurança digital, qual a relação da sua marca com o evento?

JC – Resumindo em três palavras: Contato, relacionamento e fortalecimento da marca. O evento ISC para nós proporciona abertura adicional de portas para com o setor. Demonstramos as novidades, convidamos parceiros e clientes, desenvolvemos novos relacionamentos e fortalecemos os já existentes. Portanto, trata-se geração de novos negócios e demonstração da tendência da tecnologia para a área de segurança pública e privada.


Faltam menos de 3 meses para a ISC Brasil e o credenciamento já está disponível para os profissionais do setor. Clique aqui para garantir sua participação e assine nossa newsletter para receber em primeira mão as notícias do mercado e outras novidades preparadas para o principal evento de segurança do País.

Quero receber novidades da ISC Brasil

Conteúdo Proprietário – Reed Exhibitions Alcântara Machado
Redação: Emanuelle Herrera

Facebook Comments