11 motivos para realizar um Projeto de Eficiência Energética para Indústrias

11 motivos para realizar um Projeto de Eficiência Energética para Indústrias

Eficiência energética para indústrias

Segundo a Confederação Nacional da Indústria (CNI), o setor industrial é responsável pelo consumo de 41% da energia elétrica do Brasil, ao passo que cerca de 537 mil unidades estão em funcionamento no país. Nesse sentido, a relação intensa entre as indústrias e o consumo da energia elétrica é evidente. Isso ilustra a importância de um projeto de eficiência energética para indústrias

Desperdício da energia em números

Segundo o Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel), ao considerar as indústrias, residências e comércio, o desperdício de energia chega a 22 milhões de kW, o que representa cerca de  US$ 1,54 bilhões por ano.

À medida que o consumo de energia elétrica aumenta, um maior suprimento de energia nas atividades deve ser considerado. Para isso, investimentos em geração, distribuição e transmissão devem ser realizados, de forma que a demanda industrial seja atendida com confiabilidade. Devido a esse fato, a implantação e incentivos à programas e projetos de uso eficiente da energia devem ser estimulados pelo país, uma vez que os desafios no setor energético crescem gradativamente no Brasil.

Atualmente, nas unidades fabris do Brasil, cerca de 20% dos motores instalados possuem mais de 25 anos, ao passo que esses são os maiores consumidores de energia nas indústrias. Na maioria dos casos, por exemplo, os motores já foram rebobinados cerca de 7 a 10 vezes.

Nesse contexto, nem sempre as alternativas com menor tempo de retorno direto serão a melhor solução, analisando, por exemplo, a relação entre o custo do investimento e a economia de energia. Existem situações nas quais o ganho está associada à melhora na produtividade, aumento da confiabilidade do sistema de produção, bem como uma menor manutenção futuramente.

Qual é a melhor solução que devo tomar?

De acordo com uma pesquisa realizada pela CNI com 2876 empresas , em 2015, 52% tomaram medidas contra o aumento da tarifa da energia elétrica, de forma que 7 entre 10 firmas adotaram a eficiência energética como alternativa para redução do efeitos do acréscimo na conta.

O Brasil no mundo

No que diz respeito à eficiência energética, segundo um estudo realizado pelo Conselho Americano por uma Economia com mais Eficiência Energética (ACEEE, na sigla em inglês), o Brasil está em 15º lugar entre as dezesseis maiores economia do mundo. No ranking, o qual tem a Alemanha como o país mais eficiente no âmbito mundial, o pior desempenho brasileiro foi na indústria, recebendo apenas 2 dentre os 25 pontos possíveis.

 

Saiba quais os 11 motivos para um projeto de eficiência energética

Essa é uma seleção de conteúdo da Reed Exhibitions Alcantara Machado sobre o mercado. Para continuar lendo, visite o site da Fluxo Consultoria com a matéria completa.

Facebook Comments