Atraso na revolução digital: grandes produtores de cana correm atrás para se...

Atraso na revolução digital: grandes produtores de cana correm atrás para se desenvolver

Foto: Herney Gomez | Pixabay

A falta de conectividade atrasa as fazendas brasileiras. Ganhos de eficiência podem garantir grandes economias para os produtores

Os produtores brasileiros precisam de wifi.

O Brasil, sede de algumas das maiores fazendas em expansão do mundo, está atrasado na revolução digital que veio para automatizar a agricultura. Isso se deve à falta de uma rede de comunicação rural que seja viável. Atualmente, pelo menos uma marca de equipamentos agrícolas ansiosa para vender produtos de alta tecnologia está explorando essa brecha a fim de ajudar na construção da cobertura sem-fio.

Nesta primavera, a Deere & Co. lançou um programa para conectar as fazendas brasileiras a uma rede de dados. Deere, junto com o fornecedor de redes de comunicação Tropico, pretende vender torres e antenas no país, onde o serviço de internet é escasso.

Outros fabricantes de equipamentos agrícolas estão perseguindo estratégias similares. A AGCO Corp., fabricante de tratores e outros equipamentos, está explorando a vinculação de seus equipamentos à nuvem via satélite em lugares onde o sistema de telefonia não está disponível.

A ideia, em ambos os casos, é permitir que os produtores monitorem o trabalho feito no campo remotamente e em tempo real, analisando os dados e tomando decisões oportunas sobre os cronogramas de plantio e colheita.

 

Essa é uma seleção de conteúdo da Reed Exhibitions Alcantara Machado sobre o mercado. Para continuar lendo, visite Nova Cana.

Facebook Comments