Equipamentos industriais de refrigeração são responsáveis por até 50% do custo de eletricidade total de uma fábrica. No entanto, ao mesmo tempo que elementos mecânicos de um chiller – tais como compressores, bombas e ventiladores – são vistos como vilões no consumo de energia do sistema de refrigeração, existem algumas táticas que podem ser empregadas para maximizar ganhos de eficiência para os usuários finais.

Arrefecimento gratuito (Free Cooling)

Utiliza a temperatura do ar ambiente para reduzir a energia consumida por um circuito de refrigeração, bem como a carga de energia elétrica de um sistema. Para especialistas, essa é uma ótima oportunidade para locais de “clima ameno, ideal para economia de energia no processo de resfriamento por meio deste método”. Apesar de poder investir nesta alternativa, vale lembrar que normalmente se tem o período de recuperação do investimento estimado entre 18 e 24 meses.

Tipos de refrigerantes

Quando se trata de refrigerantes, os usuários finais têm a oportunidade de reduzir os custos operacionais e melhorar a eficiência do sistema conformes à legislação atual de cada local, ao optar pelos em conformidade com o potencial de aquecimento global potencial (GWP), medida de como uma determinada quantidade de gás incide nesse efeito. Profissionais do segmento explicam que “o melhor exemplo disso são os refrigeradores mais novos, que em quase sua totalidade incorporam compressores que podem operar usando refrigerantes R513A – não inflamável e bastante eficiente – que possui um GWP muito menor que seu antecessor, o R134A”.

Recuperação de calor

Os benefícios do reuso do excesso de calor descarregado pelos refrigerantes são inegáveis e incluem ganhos de eficiência tangíveis, condições de trabalho mais confortáveis e redução no impacto ambiental, entre outros. Para acessar essas vantagens, os usuários finais devem adquirir equipamentos que facilitem a recuperação de calor ou aperfeiçoar um refrigerador existente de 250kW para cima e com uma unidade para esse fim. Como último cenário, deve-se considerar a idade e a condição da planta, bem como seu perfil de saída e a carga térmica, para garantir um saudável retorno sobre o investimento.

Correção do fator de potência

Com a função de mensurar como a eficácia elétrica é convertida em saída útil, a correção do fator de potência é muitas vezes esquecida pelos usuários finais industriais, apesar de seu impacto sobre a eficiência energética. Com um chiller bem ajustado, a eficiência média de um compressor gira em torno de 0,86, mas a grande maioria opera com um fator de potência mais baixo; de 0,81 0,82.

Pensar fora da caixa e adotar algumas técnicas conhecidas quando se trata de melhorar a eficiência dos equipamentos de controle de temperatura rapidamente ajudará a retomar o controle do consumo de energia da sua planta e melhorar a rentabilidade.

Facebook Comments

Deixar uma resposta