É indiscutível que as ruas e iluminação exterior em geral foram os pontos de partida para a mudança e utilização da tecnologia LED. Porém, mesmo depois de algum tempo, continuam surgindo novos desafios para os engenheiros do setor. Confira o panorama do que pode dificultar a vida desses profissionais.

 

  1. Brilho

A questão que nunca morre, já que o problema, mesmo que amplamente reconhecido, é uma herança dos muitos dispositivos elétricos com pobre controle ótico que foram instalados na primeira onda de LEDs. Sem contar a temperatura da cor – 5000K em diversos lugares – que são profundamente impopulares com consumidores ao redor do mundo.

 

  1. O fim de IPFs

A era da Iniciativa Privada de Financiamento em LED no exterior está chegando ao fim. E enquanto a poeira assenta, pairam dúvidas no ar sobre se com isso a qualidade da tecnologia pode ou não ser atingida. É esperar para ver.

 

  1. Carregadores de carros elétricos

Muitas cidades acreditam que sua rede de iluminação pública é a solução perfeita para a prestação de serviços no carregamento de carros elétricos. Não é. Questões técnicas inviabilizam isso e as altas taxas de corrente de energia podem causar um colapso em todo o sistema se não foram muito bem adaptadas.

 

  1. Conectividade

Cada vez mais torna-se inerente a oferta de conectividade wi-fi gratuita nas cidades, principalmente no que diz respeito ao exterior. O problema? Como sustentar a imensidão de pessoas conectadas entregando um serviço eficiente, balanceado e que não prejudique todo o sistema elétrico? Postes de luz e tecnologia IoT são a solução e vão deixar muitos profissionais ocupados afinando os detalhes.

 

  1. Apagão

Apagões acontecem em qualquer lugar do mundo e causam prejuízos imensuráveis. Vêm-se especulando que uma solução simples para esse problema seria adaptar o sistema de iluminação urbana, possibilitando que fosse regulada a intensidade de luz entregue, assim como a quantidade. Será?

 

  1. O perigo do azul

O forte componente azul de muitas luzes LED de rua continua levantando temores de que o bem-estar dos moradores está sendo comprometido. Sobre isso, autoridades médicas de renome já indicam que seja pensada como padrão a temperatura de cor não mais que de 3000K.

 

  1. Cidades inteligentes

Governantes amam a ideia de sua metrópole tornar-se uma cidade inteligente, mas não se sabe bem o que significa, muito menos as pessoas que serão responsáveis, supostamente, por sua implementação. Mas todos concordam que a iluminação está envolvida. E imaginem quem terá que explicar o que na prática seria isso.

 

  1. Poluição de luz

Imagens aterradoras mostram o que muita gente suspeitava: mesmo com os baixos custos das luminárias LED da China e outros lugares, a poluição luminosa como originalmente esperava-se não diminuiu. Em vez disso, tem piorado.

 

  1. A falta de estratégia

É difícil fazer planos para os próximos 30 anos de iluminação urbana. Por isso os engenheiros precisam de estratégias e metas para saber para onde estamos caminhando.

 

  1. O futuro

Todos concordam que é preciso ter visão do futuro, ainda mais no que diz respeito a tecnologia LED, onde a cada momento uma nova onda de luminárias de última geração surge. Então, pense bem ao planejar uma rede, afinal, seu orçamento pode ir pelos ares ao ter que agregar uma gama de serviços auxiliares como CCTV, sensores de poluição, detectores de tráfego e acesso wi-fi.

Facebook Comments