Uma fraude é detectada mais frequentemente porque alguém viu alguma coisa e disse algo. Quando isso acontece, geralmente não é porque existe um rancor ou busca de vingança por quem denuncia, mas sim porque notou algo que não está certo e sente-se moralmente obrigado a comunicar a alguém. Para minimizar o medo de retaliação ou punição ao relatar alguma atividade suspeita, é crucial que gerentes e supervisores recebam formação sobre como proteger os empregados. Os gestores devem ser informados de que há certas atividades que são proibidas e quais ações são consideradas negativas.

Vale lembrar que leis federais mundo afora protegem os trabalhadores contra a
discriminação no local de trabalho por fazer reclamações ou participar de outras atividades
protegidas. Com tantos estatutos federais e agências diferentes, compreender quais são as
leis e como eles funcionam pode ajudar hoteleiros a conduzir da melhor forma o problema e mesmo evitar reclamações de retaliação ao tentar resolvê-lo. Por exemplo, se um
funcionário que entrou com uma queixa vê suas horas extras substancialmente reduzidas no dia seguinte, pode haver uma percepção de retaliação.

Aqui estão três dicas para considerar quando um funcionário gera preocupação.

Prontamente e cuidadosamente investigue a denúncia
Leve cada reclamação e denúncia a sério e rapidamente inicie um processo de investigação
da acusação, mesmo que a mesma pareça infundada. Considere, dependendo do grau de
complexidade, gravidade ou transtorno que o ato possa causar, envolver um investigador
ou auditor terceirizado para garantir a imparcialidade na condução do inquérito.

Proteja o denunciante
A liderança deve operar, sob o pressuposto de que uma denúncia foi feita de boa-fé e
tranquilizar o denunciante, fazendo-o compreender que não colocou em risco seu emprego e que pode até mesmo anonimamente cooperar com a investigação.

Acompanhar e informar
Mantenha o denunciante informado do status da investigação, bem como quaisquer
conclusões. Informações confidenciais específicas podem não ser apropriadas divulgar, mas
é inteiramente adequado compartilhar os passos que a empresa está tomando referente às preocupações apresentadas pelo funcionário. Responder não só reduz a percepção de
retaliação, mas também pode ser o catalisador para efetuar a mudança fundamental na
cultura de um hotel ou outro segmento de hospitalidade.

No final, o ponto é ter a certeza de que os empregados se sintam seguros e sua motivação
seja conseguir ter de volta o tipo de ambiente que gostam e que por isso estão trabalhando
em determinado local.